Kung Fu Panda

Posted on julho 5, 2008

2


Depois de uma semana inteirinha de trabalho, sem aulas à noite, nada como um cineminha para distrair. Bom, Vitorinha sempre exigente nesses casos queria ver “A Outra”, mas este filme não está mais em muitas salas e os horários estavam inviáveis.

No Santa Cruz, lotado (essas crianças não viajam não??), decidimos por Kung Fu Panda (Kung Fu Panda, 2008). Eu já tinha lido umas críticas que falavam bem, e uma animação era o que precisávamos. Ah, versão legendada, é claro.

Primeiro, o desenho é assim: Po (Jack Black) é um panda, ele sonha em lutar kung fu, mas seu pai Mr. Ping (James Hong), um ganso (?! ou algo assim), quer que ele assuma o negócio da família, uma barraca de lamen ( noodles, não sei bem como traduzir isso, mas não é macarrão simplesmente). Os ídolos dele são Os Cinco Furiosos: Tigresa (Angelina Jolie), Garça (David Cross), Víbora (Lucy Liu), Macaco (Jackie Chan) e Louva-deus (Seth Rogen). Basicamente ele é o escolhido para trazer paz de volta ao Vale da Paz após Tai Lung (Ian McShane), um tigre do mal, escapar da prisão. Quem terá a missão de treiná-lo será o mestre Shifu (Dustin Hoffman).  Claro que tem uma série de outros detalhes, mas não cabe aqui.

Eu adorei, superou a expectativa. Primeiro que o filme tem várias referências de filmes de artes marciais como “O Tigre e o Dragão”, “Herói” e “Karatê Kid”; além dos filmes do Jackie Chan, mas isso não vale porque parece que ele supervisionou a equipe de animadores. Tem seqüências de lutas muito criativas e divertidas, não fica aquela coisa de bate de um lado, apanha do outro até cansar. Tem um humor que agrada a todos, aquelas caretas e pancadas que crianças acham graça (inclusive a criança aqui) e umas sacadas mais adultas, como na cena da acupuntura. Mesmo as piadas meio antigas e repetitivas são bem graciosas. Ah, destaque para as caras do panda, em todos os momentos!

A trama é bem previsível, mas do jeito que é contada, com uns detalhes surpreendentes e com sequências de piadas, caras, bocas e acidentes (“there are no accidents”) torna tudo muito divertido e gracioso. Além disso tem a mensagem básica de não julgar as pessoas pela aparência e ditados muito clássicos. Todos riram muito, até de uma risada estridente num momento bem silencioso do filme (extra).

Super recomendo, vale para sentar, rir e esquecer dos problemas. Ah, dois trailers (já falei que adoro? bem não todos, tem que ser bem feito, contando sem contar)  de filmes que prometem: Madagascar 2 e A Ilha da Imaginação (Nim’s Island).

Pronto, acabou!

Anúncios
Posted in: Cineminha